[BOOK REVIEW] OS DIÁRIOS DE CARRIE POR CANDANCE BUSHNELL

| |

Sinopse: Os Diários de Carrie começa no último ano de Carrie do ensino médio. Ela e seus melhores amigos Walt, Lali, Maggie são inseparáveis. E então Sebastian Kydd entra em cena. Sebastian é um bad boy, intrigante e imprevisível. Carrie está em um relacionamento que ela sempre quis ter na escola, até que a traição de um amigo a faz questionar tudo. Com seus tempos de colégio chegando ao fim, Carrie vai perceber que chegou finalmente a hora de ir atrás de tudo o que ela sempre quis.
Os fãs de Carrie vão aprender sobre seus antecedentes familiares – como ela encontrou seu talento para a escrita, e a impressão que suas amizades e relacionamentos deixaram sobre ela.


Eu gosto muito a série de TV Sex and the City, quando se trata de série sobre a vida de mulheres do mundo real são poucas as que conseguiram ser bem sucedidas sem cair no clichê, Candance criou toda uma onda e seu livro e a série criaram tendências atrás de tendências e até hoje são reverenciadas pela crítica e pelos fãs. Mas apesar de tudo isso, confesso que fiquei um pouco receoso de começar esse livro, isso por que como já disse em alguns post por aqui, eu tenho um costume de evitar YAs por motivos de já ter tido muitas decepções com o mesmo, então peguei esse livro já com um certo receio, mas o resultado no final de tudo não foi como pensei.
Bem, o livro possui os clichês já clássicos do gênero de uma guria apaixonada por um guri que é novo na escola, a indecisão sobre sexo, faculdade etc. , mas a abordagem da autora nesses temas é muito boa, Candance soube utilizar esses clichês de uma forma muito boa, e às vezes em sua narrativa soa até como uma conselheira para pessoas que estão passando por problemas parecidos, o que só ressalta a ligação desse livro com Sex and the City.
O maior problema desse livro é que Carrie em alguns momentos não se parece com uma adolescente, talvez por ter passado tanto tempo escrevendo sobre a personagem como uma adulta (uma adulta às vezes bem adolescente, mas enfim isso não vem ao caso), a autora acabou deixando muitos rastros dessa experiência e sabedoria da Carrie adulta nessa Carrie adolescente, o que pode soar um pouco destoante já que ela não deveria se portar de maneira tão madura em certas situações que exigiriam um pouco de imaturidade juvenil, o que acaba por fazer Carrie ser uma personagem presa entre esses dois pontos, às vezes muito imatura, outras extremamente madura, o que é contraditório e torna a personagem pouco realista.
Aquele finalzinho onde Samanta finalmente aparece é o que precisava para mesmo com alguns problemas fazer o leitor querer prosseguir para o segundo volume da série O Verão e a Cidade. Por que mesmo com autos e baixos o livro consegue se manter interessante, e associado a nostalgia causada ao lembrar das personagens a vontade de ler o segundo volume dessa história só aumenta.

NOTA: 4/5



Nenhum comentário:

Postar um comentário



ÚLTIMAS RESENHAS