[BOOK REVIEW] BATTLE ROYALE POR KOUSHUN TAKAMI

| |

Sinopse: Battle Royale é um thriller de alta octanagem sobre violência juvenil em um mundo distópico, além de ser um dos best-sellers japoneses e mais polêmico entre os romances. Como parte de um programa implacável pelo governo totalitário, os alunos do nono ano são levados para uma pequena ilha isolada e recebem um mapa, comida e várias armas. Forçados a usarem coleiras especiais, que explodem quando eles quebram uma regra, eles devem lutar entre si por três dias até que apenas um "vencedor" sobreviva. O jogo de eliminação se torna a principal atração televisiva de reality shows. Esse clássico japonês é uma alegoria potente do que significa ser jovem e sobreviver no mundo de hoje.



Eu nunca tinha sequer ouvido falar desse livro até Jogos Vorazes se tornar a febre que foi, então até as comparações começarem eu era totalmente ignorante a respeito de Battle Royale, como desde a época de Jogos Vorazes estou dando uma distancia de distopias por causa da overdose de livro desse gênero que apareceram nos últimos cinco anos eu só fui ler esse livro esse ano e gostei bastante do resultado.
Se precisasse de uma palavra para resumir esse livro eu usaria "frenético", é um livro que você lê muito rápido e que acontece muita coisa a todo tempo, apesar de ser um calhamaço é um livro que não demora muito para acabar por causa da escrita do autor ser muito mais simples do que se espera, e justamente por que ele sempre esta inserindo alguma coisa no final dos capítulos que faz você querer continuar lendo e não querer largar nunca.
Battle Royale também é um livro meio sem esperanças, é um livro que é muito mais pesado nesse sentido de que os personagens como não tem para onde fugir e por viver em um mundo tão terrível acabam até mesmo conformados com a própria situação, obviamente existem alguma exceções, mas no total essa desesperança toda foi o sentimento que ficou mais forte para mim durante a leitura.
Vale lembrar também que esse não é um livro para quem é muito sensível a violência, tem tripas sim, tem descrições extremamente frias de corpos, desmembramentos, estupro, violência física, entre outros tipos de acontecimentos que são comuns nessa já chamada ultraviolência presente no livro todo.
Quanto aos personagens, como são muitos, mesmo aqueles que aparecem no mesmo capítulo em que morrem são bem construídos, a grande maioria tem um plano de fundo bem construído e são tridimensionais. E para um livro que foi escrito a um certo tempo ele consegue se manter atual mesmo com essa distancia, mostrando que independente do tempo que passe adolescentes ainda terão os mesmo problemas, neuras e paixões.
Battle Royale para mim em muitos pontos lembra sim Jogos Vorazes, mas apenas superficialmente, uma leitura mais detalhada encontra tantas diferenças que chega a ser inconcebível certas comparações feitas, ainda mais levando em consideração que para esse que vos escreve Battle Royale é em muitos pontos superior a franquia de Suzanne Collins, que acabou se desgastando por querer estender demais algo que não tinha tanta necessidade.
Battle Royale é um livro angustiante, delicioso e apaixonante, o ritmo e a escrita do autor conquistam o leitor desde o início, é aquele livro de tirar o fôlego e que dá até uma dorzinha na hora de fechar.

NOTA: 5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário



ÚLTIMAS RESENHAS