[BOOK REVIEW] DELÍRIOS DE CONSUMO NA 5ª AVENIDA POR SOPHIE KINSELLA

| |

Sinopse: Becky Bloom está de volta. E com um cartão de crédito pronto para a ação. É assim que ela encara Nova York, para onde se muda para acompanhar Luke, seu namorado, que troca a Inglaterra por um emprego nos Estados Unidos. A meca mundial do consumo parece um Jardim do Éden para essa compradora compulsiva. Mas quando começam a chegar suas faturas do cartão de crédito, o paraíso acaba se transformando numa verdadeira sucursal do inferno na terra.


Sophie Kinsella é uma das poucas autoras de chick-lits que realmente conseguem me fazer dar risada, sua linguagem fácil e o texto divertido fazem de “Delírios de Consumo na Quinta Avenida” (segundo livro da série “Shopaholic”) uma ótima opção para quem quer rir um pouco.
Nesse segundo livro, Sophie traz de volta os já conhecidos personagens do primeiro livro, mas apesar de ser o segundo livro de uma série, o principal problema permanece: os personagens continuam rasos, Sophie continua sem se aprofundar muito nos personagens o que faz com que os tornem completamente desinteressantes.

“Recentemente um amigo de Suze se hospedou no nosso sofá – e quando foi embora deixou uma caixa enorme com uma centena de chocolates KitKats. O que é um fantático presente de agradecimento, mas significa que tudo o que comemos, o dia inteiro, são KitKats. Mesmo assim, como disse Suze ontem à noite, quanto mais rápido comermos, mais rápido vão acabar – portanto, de certo modo, é mais saudável simplesmente engolir o máximo possível.”


O raciocínio ilógico de Becky Bloom (como o de cima onde ela institui que comer KitKats como se não houvesse uma amanhã é uma opção saudável), é o que traz o humor o livro, as situações e o modo como ela se perde em meio a sua própria arrumação é muito engraçado. Porém, já nesse segundo livro já dá para perceber uma repetição de fatos, muitas coisas que acontecem aqui se parecem com o que aconteceu no livro anterior, o que me deixa perguntando: Será que todos os outros livros da série vão continuar repetindo a mesma história em um looping eterno? Se a resposta for sim, logo o interesse da série vai se perder.
Enquanto os outros personagens continuam rasos, Sophie conseguiu acrescentar um pouco mais de profundidade na protagonista (não muito, mas até que teve alguns milímetros de profundidade acrescentados ali).

“Olho para o meu eu embriagado e feliz por um instante e ouço uma voz lá dentro dizendo: lembre-se desse momento, Becky, porque nesse momento a vida é perfeita.”


A conclusão, por mais clichê que foi, ainda conseguiu ser bem executada, da para ver um amadurecimento da personagem, e a ponta para o terceiro livro incluída com sucesso.
Enfim, se o que procura é algo descontraído e engraçado, esse é o livro perfeito para isso, para sair daquela ressaca literária. Mas se o que procura é algo mais sério, com personagens mais bem desenvolvidos, onde o protagonista tem que se preocupar com muito mais do que a fatura do cartão de crédito, talvez essa não seja a melhor opção para você.

NOTA: 3.5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário



ÚLTIMAS RESENHAS